Folha do ES
Qui, 8 de Dez
32 ANOS DA FOLHA DO ES

Home   Política     Espírito Santo


‘Tinha medo de perder porque meu projeto era ser senador’, diz Sérgio Meneguelli

‘Tinha medo de perder porque meu projeto era ser senador’, diz Sérgio Meneguelli

Deputado estadual mais votado da história deu entrevista à TV Gazeta, e disse que 'a Assembleia tem que sentir o que o eleitor está querendo.'

  Por Redação - BLN

  04.outubro.2022 às 09:17Atualizado em 04.outubro.2022 às 09:26

O deputado estadual mais votado da história do Espírito Santo, Sérgio Meneguelli (Republicanos) disse nesta segunda-feira (3), em entrevista à TV Gazeta, que não esperava receber tantos votos porque teve dificuldade de divulgar a sua candidatura à Assembleia Legislativa (ALES), que de acordo com ele, foi decidida de última hora pelo partido dele, o Republicanos.

“Eu tinha medo até de perder porque meu projeto era ser senador. Não era meu projeto, no início era ser deputado estadual. O partido começou a dizer que eu tinha que ser e na última semana me passaram uma rasteira de forma até meio covarde. Tive a grande dificuldade de divulgar minha candidatura. Muita gente no estado não sabia. Foi uma surpresa muito grande”, disse Meneguelli.

No dia 28 de julho, oito dias antes do fim do prazo para convenções partidárias, o deputado estadual, e então candidato ao governo do Espírito Santo, Erick Musso, anunciou que havia desistido de disputar as eleições para governador e que seria o candidato do Republicanos ao Senado. Erick Musso terminou a disputa em terceiro lugar, com 17,25% dos votos. Ele foi derrotado por Magno Malta (PL), eleito senador com 41,95% dos votos, e ficou atrás da senadora candidata a reeleição Rose de Freitas (MDB), que teve 38,17% dos votos.

Na entrevista, que foi exibida ao vivo no Bom Dia Espírito Santo, Meneguelli também disse que não quer privilégios e vai se comportar como empregado do povo durante seu mandato na ALES.

“A própria Assembleia tem que sentir o que o eleitor está querendo. Primeira coisa é acabar com a farra de alugar carro zerado para deputado. Dar condições de trabalho sim, mas sem privilégio. É uma responsabilidade muito grande porque tive votos em todos os municípios do Espírito Santo. Vou dar o máximo. Já aviso aos deputados que eu não vou aprovar nada que for privilégio. Representante do povo tem que por o pé no chão. Todos os deputados não passam de deputados da população, mas o povo também tem que se comportar como patrão”, disse o deputado eleito.

Sobre a disputa do segundo turno para governador entre Renato Casagrande (PSB) e Manato (PL), ele preferiu não se posicionar.

“Até agora eu me isolei até do meu partido. Foram votos do povo e pessoal. Vou conversar com nossas lideranças e nesse momento cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém. Já tem a decisão, mas acho que ainda não está na hora. Só não quero que continue essa política suja e radical. Falam tanto de liberdade de expressão e, quando alguém se manifesta, é criticado por que não é igual”, falou Meneguelli.

Meneguelli tem 66 anos e é natural de São Gabriel da Palha, Noroeste do Espírito Santo. Ele foi vereador por três mandatos consecutivos em Colatina e, em 2016, foi eleito prefeito da cidade. Na época, ele ficou conhecido por ter chegado de bicicleta para a própria posse, na sede da prefeitura de Colatina. Em 2020, Meneguelli decidiu não concorrer à reeleição e deu uma pausa na trajetória política.


Fonte: Site Barra

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.