Folha do ES
Dom, 27 de Nov
Receitas cofril

Home   Política     Espírito Santo


Polícia descarta motivo político para sequestro de vereadora trans no ES

Polícia descarta motivo político para sequestro de vereadora trans no ES

O sequestro estaria ligado a crime de patrimônio, informou o delegado da Regional Sul Faustino Simões

  Por Redação

  24.agosto.2022 às 10:39Atualizado em 24.agosto.2022 às 13:55

A Polícia Civil do Espírito Santo descartou motivação política no caso do sequestro da vereadora trans Lari Bortolote Marcon (Republicanos), de Rio Novo do Sul. Na manhã desta segunda-feira (22), homens armados a levaram de um sítio da família dela na cidade. Ela foi resgatada à noite.

Segundo o delegado da Regional Sul Faustino Simões, o sequestro estaria ligado a crime de patrimônio, já que a vereadora é figura pública, com muitos seguidores nas redes sociais e a propriedade rural da família pode ter chamado a atenção dos criminosos. Um adulto foi preso e um adolescente, apreendido. Eles não haviam constituído advogado até a tarde desta terça-feira (23).

Inicialmente os sequestradores exigiram R$ 250 mil da família para libertá-la. Segundo a polícia, após negociação do irmão da vítima com os criminosos, uma quantia de R$ 100 mil foi acertada e o local de entrega, marcado.

Na mesma noite, o irmão foi para o local com o dinheiro, quando dois homens a pé entraram dentro do seu carro e seguiram com ele até o bairro Zumbi, em Cachoeiro de Itapemirim. Lá foram abordados por policiais que estavam à paisana.

Foram presos um rapaz de 28 anos e apreendido um adolescente de 17 anos.

Equipes chegaram ao cativeiro da vereadora na cidade de Anchieta, no sul do estado. Dois sequestradores estavam com a vítima, mas conseguiram fugir pelos telhados das casas.

No cativeiro foram encontradas um revólver 38, uma pistola 12 mm e outra 9 mm, uma submetralhadora, 22 quilos de maconha, uma pequena quantia de crack, cocaína e dinheiro em espécie.

Segundo o delegado da Regional Sul Faustino Simões, todos os envolvidos têm passagens, inclusive os foragidos que estão sendo investigados.

"Trabalhamos com a linha de que esses indivíduos atuam dentro do tráfico de Cachoeiro de Itapemirim e estariam criando um braço do tráfico na cidade da vereadora, e esse dinheiro seria usado para fortalecer o tráfico", disse o delegado.

Segundo Simões, o sequestro foi para capitalizar o tráfico. "Inclusive um deles é foragido do sistema carcerário autuado pelo crime de tráfico e responsável por um homicídio acontecido recentemente em Rio Novo do Sul, com relação ao tráfico."

O rapaz preso deve responder por extorsão mediante sequestro, porte de arma e corrupção de menores.

O adolescente apreendido foi levado ao Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo e vai ser investigado por ato infracional análogo aos crimes de sequestro mediante extorsão e porte ilegal de arma de fogo.


Fonte: minuto a minuto

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.