Folha do ES
Ter, 28 de Jun

Home     Judiciário


Justiça aponta instabilidade mental em homem que chamou a polícia para não matar ex-mulher

Justiça aponta instabilidade mental em homem que chamou a polícia para não matar ex-mulher

Confeiteiro de 24 anos foi preso e autuado por ameaçar de morte a ex-mulher e permaneceu detido após não pagar fiança

  Por Julia Mothé

  24.fevereiro.2022 às 00:04Atualizado em 24.fevereiro.2022 às 00:26

O confeitero Samuel Santos Souza, de 24 anos, que abriu contra si mesmo um B.O por ameaçar de morte a ex-mulher, no bairro Resistência, em Vitória, teve a prisão temporária revertida para prisão preventiva.

Além disso, o Tribunal de Justiça determinou que o homem seja encaminhado para uma equipe de saúde e técnica da unidade prisional, por conta do "quadro de instabilidade mental"

Em nova, a Secretaria de Justiça esclareceu que Samuel permanece no Centro de Triagem de Viana e cumprirá a prisão no local, e que o homem já passou por atendimento médico.

"A Sejus esclarece que todos os internos, ao darem entrada no sistema prisional, são submetidos a atendimentos de saúde para triagem. Esse atendimento compreende consulta com todos os profissionais de saúde que compõem a equipe do estabelecimento penal, entre eles, médico, enfermeiro, dentista, psicólogo e assistente social", informou.

Homem chamou polícia no ES e disse que ia matar ex se não fosse preso

Um homem que não aceitava o fim de um relacionamento chamou a Polícia Militar para prendê-lo depois de ameaçar a ex-mulher de morte. O caso aconteceu no bairro Resistência, em Vitória.

O confeiteiro Samuel Santos Souza, de 24 anos, contou que o relacionamento acabou porque ele traiu a mulher três vezes. Antes de ser encaminhado ao presídio, na manhã desta terça (22), ele disse que ficou revoltado porque ela se envolveu com outra pessoa após a separação. Ainda segundo ele, a ex não queria retomar o casamento.

"Mandei várias mensagens dizendo pra ela que se ela não voltasse comigo ia matar ela e o cara que estava com ela. Essa é a realidade. Então, para isso não acontecer eu abri um BO [boletim de ocorrência] contra mim mesmo para proteger a vida dela e a da minha filha também. Fui na residência dela, me alterei, ela se sentiu coagida, passou uma viatura e eu mesmo chamei a viatura pra mim ", disse.

O confeiteiro disse ainda que nunca bateu em nenhuma mulher.

"Tenho consciência que estou errado. Por isso tive essa atitude. Não quero ser mais um que mata mulher. A decisão que eu ia tomar ia ser errada. Eu sei que vou estragar minha vida. Nunca passei por uma situação como essa. Estou aliviado porque aqui [na prisão] consigo deixar ela segura", explicou.

O casal ficou junto por quatro anos e tem uma filha de três. O relacionamento acabou há quatro meses. A cuidadora disse que antes de chamar a polícia, Samuel a ameaçou mais uma vez.

"Ele veio trazer ela[filha] porque queria me ver. Falou que queria conversar e se eu não deixasse ele entrar ia pular o muro da minha casa. Passou uma viatura na hora, ele disse que era pra eu chamar a viatura porque ia precisar. Ele parou a viatura e conversou com os policiais", disse.

Lei Maria da Penha

A Polícia Civil informou que as partes foram encaminhadas ao Plantão Especializado de Atendimento à Mulher (PEM) e o confeiteiro foi autuado em flagrante pelo crime de ameaça na forma da Lei Maria da Penha.

Foi arbitrada fiança, que não foi paga, e Samuel foi levado ao Centro de Triagem de Viana. O valor da fiança não foi divulgado.


Fonte: G1

Comentários Facebook


Enquete


Você é a favor ou contra o passaporte de vacina obrigatório?

  Votar   Ver resultado

Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.