Folha do ES
Qua, 6 de Jul

Home   Geral     Mundo


Família adota menina de “6 anos” e descobre que ela tem 22 anos e é uma sociopata; veja as fotos

Família adota menina de “6 anos” e descobre que ela tem 22 anos e é uma sociopata; veja as fotos

“A última vez que conversamos pelo telefone, ela me disse que estava fazendo espaguete para a nova família”, disse Kristine

  Por Redação

  20.maio.2022 às 10:07

O casal Kristine Barnett e Michael Barnett está sendo acusado de abandonar a filha adotiva de 6 anos. Eles se mudaram para o Canadá e deixaram a menina sozinha em casa, não entrando mais em contato com a criança.

Ocorrido em 2013, o caso só ganhou destaque neste ano porque os dois foram encontrados e acusados de negligência por abandonarem uma “criança de 10 anos”.

Segundo a mãe, a criança Natália Grace, na verdade, tinha 22 anos, era ucraniana, tinha nanismo e era sociopata. Kristine, inclusive, relatou ao Daily Mail que, logo após o processo de adoção, percebeu que Natália menstruava, tinha pelos pubianos e dentes adultos, além de ter uma linguagem incomum para crianças.

“Ela fazia desenhos e escrevia que queria matar sua família, enrolá-los em um cobertor e colocá-los no quintal”, disse a mulher de 45 anos. Ela também contou que precisou esconder facas e objetos afiados da filha e viu a menina colocando água sanitária no café, além de tenta envenená-la.

Natália passou por exames médicos e os resultados constaram que ela tinha estrutura óssea 8 anos maior do que sua idade. Em 2012, ela foi internada em uma unidade psiquiátrica após ser acusada de jogar a mãe em uma cerca elétrica. Durante a internação, Natália admitiu que tinha 22 anos, teve seus documentos alterados e passou a ser tratada como uma adulta.

“Os médicos confirmaram que ela sofria de uma doença psicológica grave, diagnosticada apenas em adultos. Ela pulava de carros em movimento e manchava os espelhos de casa com sangue. Ela fazia coisas que uma criança nunca faria”, revelou Kristine.

Em 2013, Natália desapareceu e tem seu paradeiro desconhecido. A mãe diz ter medo de a jovem parar de tomar os remédios e fizesse mal às pessoas. “A última vez que conversamos pelo telefone, ela me disse que estava fazendo espaguete para a nova família”, finalizou.


Fonte: MCeará

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.