Folha do ES
Sex, 1 de Jul

Home   Economia     Espírito Santo


Saiba evitar golpes com uso do Pix

Saiba evitar golpes com uso do Pix

Dados do Banco Central mostram que, em abril, conforme as estatísticas mais recentes, a modalidade tinha 109,8 milhões de pessoas físicas cadastradas e 8,5 milhões de pessoas jurídicas.

  Por Redação

  15.maio.2022 às 20:19

Com 118 milhões de usuários, o Pix, sistema de pagamentos instantâneos, caiu no gosto popular e na mira de criminosos e golpistas. Dados do Banco Central mostram que, em abril, conforme as estatísticas mais recentes, a modalidade tinha 109,8 milhões de pessoas físicas cadastradas e 8,5 milhões de pessoas jurídicas.

No mesmo mês, o total de chaves registradas chegou a 438,5 milhões no país. Em março, foram feitas 1,6 bilhão de operações envolvendo a modalidade. Com a popularidade, o Pix se torna um dos principais alvos de criminosos que roubam ou furtam celulares ou conseguem invadir a conta pela internet.

A empresa de segurança na internet PSafe afirma que, de janeiro a abril deste ano, foram bloqueadas mais de 3 milhões de tentativas de golpes financeiros no Brasil, o que corresponde a mais de 25 mil tentativas por dia. As estatísticas envolvem golpes em geral, incluindo os que têm o Pix como alvo.

Em novembro do ano passado, um ano após o lançamento do Pix, novas regras do Banco Central passaram a valer para reforçar a segurança dos usuários. Entre elas estão o bloqueio cautelar e a devolução especial de valores.

Em vez de fazer o crédito automaticamente, a instituição responsável pela conta que recebe os valores suspeitos realiza um bloqueio preventivo dos recursos por até 72 horas.

"A opção vai possibilitar que a instituição realize uma análise de fraude mais robusta, aumentando a probabilidade de recuperação dos recursos pelos usuários pagadores vítimas de algum crime", diz o BC. No mecanismo especial de devolução, o cliente que foi vítima de golpe pode pedir o dinheiro de volta. Para isso, é preciso registrar um boletim de ocorrência e avisar imediatamente a instituição pelo canal de atendimento oficial, como SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) ou Ouvidoria.

Segundo a Febraban, as operações por Pix são totalmente rastreáveis e, no caso de irregularidades, "todos os envolvidos serão identificados e responderão pelos delitos". A Folha ouviu especialistas em segurança bancária e os cinco maiores bancos e reuniu as principais dicas de segurança para quem usa o Pix.

VEJA CINCO DICAS PARA PROTEGER SEU PIX

1 - Tenha cuidado com senha do app do banco

O Pix é uma operação feita por meio da rede bancária e muitas das movimentações fraudulentas ocorrem após roubo, furto ou invasão do celular por criminosos

Quem tem app do banco instalado deve ter muito cuidado com a senha, que não deve ter números facilmente identificáveis como de documentos ou datas de nascimento, por exemplo

Jamais anote sua senha do banco no bloco de notas do celular

Ao usar o app, sempre saia da conta

Os apps de bancos não armazenam as senhas e as movimentações

2 - Diminua o valor que pode ser transferido por Pix

Os bancos têm bloqueios específicos do Pix conforme o valor e o horário

Operações acima de R$ 1.000 no período noturno precisam ser liberadas pelo cliente e há prazo para que haja resposta a esse pedido de liberação

No entanto, o próprio cidadão pode diminuir e aumentar os limites de transferência bancária a qualquer momento, incluindo o Pix, de forma rápida

Especialistas recomendam ter um limite bem baixo transferência por Pix, o que limita e dificulta a ação de criminosos

3 - Sempre confirme os dados de quem vai receber o Pix

Antes de terminar a operação de transferência via Pix, confirme a chave de quem vai receber

Revise também os valores; ao errar na transação, é possível ter o dinheiro de volta, mas isso leva tempo e necessitará de uma investigação feita por seu banco

4 - Cuidado com as transferências

Não faça transferências para amigos ou parentes sem confirmar se o pedido de valores está sendo feito pela própria pessoa

Um dos golpes mais comuns envolvendo Pix é o da falsa conta do celular, quando o golpista rouba a foto da pessoa de alguma forma e, com outro número, passa a pedir dinheiro a amigos e familiares

5 - Jamais clique em links para cadastrar a chave Pix

Nunca clique em links recebidos por email, WhatsApp, redes sociais ou SMS para cadastro da chave do Pix

O cadastro da chave deve ser feito sempre pelo site ou aplicativo do banco, ou nas agências bancárias

Nunca compartilhe o código de verificação recebido quando você realiza o cadastro da chave Pix

Não faça qualquer tipo de cadastro no Pix a partir de ligações telefônicas ou contatos pelo WhatsApp, pois essa prática é fraudulenta

Fontes: Febraban (Federação Brasileira de Bancos), Serasa, PSafe e bancos


Fonte: Notícias ao Minuto

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.