Folha do ES
Ter, 4 de Out
Nova logo da LEIA Pesquisa

.Home     Colunistas     Gilber Rubim Rangel

Parte 6 - Patronos e Patroneses das Escolas de Cachoeiro-ES


 Gilber Rubim Rangel

Gilber Rubim Rangel

Advogado pós-graduado em Direito Civil e Direito do Trabalho. Pesquisador e genealogista associado do IHGES, CEGH, IHGGS e ABRASP.

Ver todos os artigos

  16.agosto.2022

Na sexta parte da série sobre os Patronos e Patronesses das Escolas Públicas de Cachoeiro de Itapemirim trago o perfil biográfico de mais três pessoas que constam do frontispício das escolas municipais.

EURICO VIEIRA DE RESENDE (1918-1997) Político, professor, advogado, jornalista e pecuarista. Nasceu em Ubá-MG e faleceu em Brasília-DF, aos setenta e oito anos. Filho de Leôncio Vieira de Resen de e Acedália Carneiro Resende. Casou se com Maria Ribeiro de Rezende, patronesse de uma escola municipal em Cariacica. Teve sete filhos: Egle, Eduardo, Solange, Eurico Filho, Andréa, Rezende Ribeiro de Rezende, reitor da “Universidade do Brasil” e Marília Rezende Scarton Coutinho, patronesse de três escolas municipais em: Aracruz, Cariacica e Linhares. Cunhado de Moacir Dalla, deputado estadual (1963-1974), deputado federal (1975-1979) e senador da república (1979-1987). Eurico Viera de Resende foi professor nos Ginásios de: São José do Calçado e “Conde de Linhares”, em Colatina, bem como, inspetor federal do ensino secundário. Além de cronista do “Diário de Vitória”, superintendente do jornal “A Tribuna”, redator-chefe de “A Gazeta”; fundador da “EMESCAM-Escola de Medicina da Santa Casa de Misericórdia”, em Vitória, e da “Universidade do Distrito Federal”, em Brasília, onde foi professor de direito penal e diretor da “Faculdade de Administração de Empresas” desta instituição. Foi também, deputado estadual pela UDN nas 2ª e 3ª legislaturas (1951-1958); senador da república (1963-1979) e, governador do estado do Espírito Santo (1979-1983), eleito por via indireta e o último do Regime Militar. Autor dos livros: “Abutres da habitação”, “Brasília: transporte coletivo”, ”A revolução e o Brasil”, ”A revolução e o ensino”, ”A revolução em debate- temas e teimas”, ”O BID e o Brasil”, ”O Espírito Santo e a Constituição – Volumes I e II”, e ”O Vereador, esse injustiçado”.

Homenageado por muitos municípios capixabas, com nome de rua. E, pelo município de Cachoeiro de Itapemirim, que antes de 2017 o homenageou com o patronato da escola de educação infantil e atendimento educacional especializado do bairro Zumbi. Atualmente denominada “EMEB Governador Eurico Vieira de Resende” (Dec. Mun. nº 27.074/2017).

JOSÉ PAINEIRAS FILHO (1954-2020) Professor, advogado, historiador, jornalista e ativista de movimentos populares. Nasceu em Cachoeiro de Itapemirim-ES e faleceu em Marataízes-ES, aos sessenta e seis anos, vítima de um infarto do miocárdio. Filho de José Paineiras e Martha de Carvalho Paineiras. Casou-se com a professora Edith Maria de Oliveira Paineiras. Foi membro da “União Cachoeirense de Negros”; do “Centro Operário e de Proteção Mútua”; e do “IHGCI-Instituto Histórico e Geográfico de Cachoeiro de Itapemirim”. Agraciado pela Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim com a comenda “Zumbi dos Palmares” e o título de “Cachoeirense Presente 2020”. Autor dos hinos oficiais das escolas cachoeirenses: “CEI Atília de Almeida Miranda” e “EMEB Aurora Estellita Herkenhoff”.

Homenageado pelo município de Cachoeiro de Itapemirim, que deu seu nome a escola de ensino fundamental do bairro Presidente Arthur da Costa e Silva. Atualmente denominada “EMEB Prof. José Paineiras Filho” (Dec. Mun. nº 30.014/2020).

PEDRO ESTELLITA HERKENHOFF (1927-1963) Professor, engenheiro e jornalista. Nasceu em Cachoeiro de Itapemirim-ES e faleceu em Vitória-ES, vítima de acidente automobilístico, aos trinta e cinco anos. Um dos onze filhos de Alfredo Herkenhoff e Aurora Estellita Herkenhoff, fundadores da “Escola Técnica de Comércio”, do “Ginásio São Pedro” e da “Escola Normal”, em Cachoeiro de Itapemirim. Ela atualmente é patronesse da escola municipal do bairro Aquidaban. Casou-se com Hélida Lima Herkenhoff. Teve três filhos. Irmão de João Batista Herkenhoff, juiz estadual, professor da UFES, ativista dos Direitos Humanos e o primeiro presidente “Comissão de Justiça e Paz”, da Arquidiocese de Vitória. Nomeado “Secretário Estadual de Educação” (Dec. Est. 318/1963), mas faleceu no dia da posse, em 01 de fevereiro.

Homenageado pelo município de Vila Velha, que deu seu nome a escola de ensino infantil do bairro Cobilândia, atualmente denominada "UMEF Pedro Herkenhoff". E, pelo município de Cachoeiro de Itapemirim, que: (a) decretou luto oficial de três dias pelo seu falecimento (Decreto Mun. nº 622/1963 e (b) deu seu nome a uma rua no bairro Basiléia (Lei Mun. nº 818/1963); e (c) antes de 1992, o patronato da “Escola de 1º Grau” do bairro Waldir Furtado Amorim. ‘Atualmente de ensino fundamental e atendimento educacional especializado, denominada de “EMEB Prof. Pedro Estellita Herkenhoff”.

Até a próxima.

Se o leitor desejar conhecer a biografia dos patronos das demais escolas públicas do Espírito Santo, clique aqui www.facebook.com/groups/687300339061960.

Comentários Facebook


Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2022 Folha do ES. Todos os direitos reservados.