Folha do ES
Dom, 17 de Fev

.Home     Colunistas     Sergio Majeski

A crise na segurança pública em 2017


Sergio Majeski

Sergio Majeski

Professor e deputado estadual pelo Espírito Santo

Ver todos os artigos

  17.janeiro.2019

A crise na segurança pública em 2017, e o que grande parte da mídia silencia

O processo de anistia da PM pode não ser o ideal, mas de forma pragmática e realista, era o que tinha que ser feito, sob pena da segurança pública no ES ficar pior e mais desorganizada do que Hartung deixou.

Naquele lamentável episódio os dois lados, o governo e a PM erraram, mas o principal culpado foi o governo PH. Desde 2015 PH vinha sucateando a PM, cortando até gasolina, às vezes policiais tinham que abastecer viaturas com o próprio dinheiro, sem coletes e até com munição vencida, além do fato da PM ES ter o pior salário entre as polícias do país.

O governador foi alertado várias vezes e nada fez para amenizar a insatisfação da tropa. Não abriu nenhum canal de diálogo, não dialogou com ninguém (de segmento nenhum), e o secretário André Garcia fingia que nada estava acontecendo.

Foi PH o maior responsável pelo que aconteceu em fevereiro de 2017. Só para refrescar a memória: nos dias 01 e 02 de fevereiro de 2017, nas redes sociais, já havia indícios que ocorreria um movimento dos familiares dos PMs nos quartéis. Impossível que o governo não soubesse disso e não pudesse impedir, abrindo um canal de diálogo.

No dia 03/02/2017 Paulo Hartung abandona o governo e vai para São Paulo fazer uma cirurgia e não passa o posto para o seu vice. No dia 4 começa a paralisação e o Estado está à deriva, não tem governador no comando. Só no domingo à noite, quando a situação é bastante grave, é que o vice assume, ou seja, o Estado ficou sem comando durante 3 dias, enquanto a situação só se agravava.

Na terça feira 7/2, nós deputados estaduais, depois de oito horas de reunião com representantes dos familiares dos PMs na Ales, conseguimos um acordo que não incluía aumento salarial e que se o governador aceitasse, o movimento poderia ter acabado no dia 8/2. O governador não aceitou e ainda humilhou a Ales numa coletiva à imprensa, insinuando que havia um complô de políticos para atrapalhar o governo.

No dia 09/02 Miriam Leitão vem ao ES, especialmente para entrevistar PH sobre a greve ( pergunta que não quer calar: porque ela veio pessoalmente entrevistar o governador? Foi de graça?).PH diz na entrevista "que não ficará pedra sobre pedra", ou seja, que seria implacável na perseguição aos PMs, mas não diz o que efetivamente o governo estava fazendo para negociar o fim daquilo.

PH, em função do seu ego e arrogância, estava preocupado com sua imagem e não com a população do Estado e, por isso, exigia que o fim daquele movimento fosse do seu jeito.

A PM e familiares erraram, mas o maior responsável por aquela tragédia foi Paulo Hartung. Não é ao acaso que ele torrou 300 milhões de dinheiro público durante o seu governo em publicidade, para enganar e confundir a opinião pública.

Quem acompanhou todo aquele processo nos bastidores, sabe que o governador foi o maior culpado, mas quem acreditou apenas no que leu em alguns jornais ou viu na TV, desconhece a maior parte do que ocorreu de verdade.

O projeto de lei da anistia dos PMs pode não ser o ideal, mas é o que precisava ser feito.

Durante o governo PH, além de ter sucateado a PM e a PC, o efetivo da PM que era de cerca de 11mil em 2014, baixou para cerca de oito mil, com o risco de nos próximos meses reduzir ainda mais.

A anistia concedida foi apenas administrativa, não é criminal, infelizmente a maior parte da grande mídia não divulga a grande parcela de culpa do governador PH e do então secretário André Garcia.

Finalizando reafirmo: os erros foram de lado a lado, mas a culpa maior foi do ex-governador e o processo de anistia foi necessário, sob pena da segurança pública no ES ficar ainda pior do que PH deixou.

As pessoas têm todo o direito de discordarem do projeto de anistia, respeito as opiniões contrárias, afinal assim é uma democracia, mas é preciso recordar exatamente o que estava acontecendo naqueles tempos e a situação da segurança pública do ES deixada pelo ex governador. #DeputadoMajeski

Comentários Facebook


Enquete


Qual camiseta (masculina e feminina) é a mais bonita para o evento da FOLHA DO ES?

  Votar   Ver resultado

Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2019 Folha do ES. Todos os direitos reservados.