Folha do ES
Dom, 22 de Jul
Transparência Vargem Alta

Home     Colunistas     Anriet Rego de Lima De Mori

Educação financeira - Parte 2


 Anriet Rego de Lima De Mori

Anriet Rego de Lima De Mori

Contadora e Consultora, gerente Exati- contabilidade e consultoria.

Ver todos os artigos

  03.novembro.2014

MINHA VAQUINHA MORREU. E AGORA?
“Havia uma família cujo sobrenome era Silva. Eles tinham um sítio e viviam do leite de uma vaca chamada Mimosa. Consumiam o leite todos os dias e o que sobrava faziam queijo e vendiam na cidade. Eram pobres e sobreviviam assim há vários anos. Um dia ela morreu. Todos ficaram muito tristes, pois perderam Mimosa que além de ser quase um membro da família, era também a única fonte de renda. Porém não se desesperaram com a situação, reuniram toda a família e pararam para pensar. O resultado foi que juntos após um planejamento bem feito e muito trabalho, construíram uma grande fazenda e ficaram ricos.”
Moral da história: se a vaca não tivesse morrido, continuariam na vida miserável que estavam acostumados.
Mimosa poderia ser qualquer coisa, porém aqui nesta coluna será nossa zona de conforto financeira, é quando estamos estagnados. É uma situação ótima em alguns aspectos. Mas como nem tudo na vida é tranquilo, a vaquinha as vezes, morre. Infelizmente estas situações não são mera ficção, e elas acontecem mesmo: seria a perda de um emprego, uma doença, separação, falência de empresa ou algo que interrompe nossa vida financeira e nos obriga a mudar.
A família Silva poderia nunca aceitar a morte de Mimosa, e ficar o tempo todo lamentando. Neste caso ela teria se despedaçado e certamente teriam que vender o pedaço de terra improdutivo. O pouco dinheiro, logo acabaria e ficariam na miséria, dependendo de um Bolsa “qualquer coisa” do governo.
POR QUE, QUANTO e COMO?
Certamente as primeiras perguntas que os Silva fizeram foram: Por que mimosa morreu? Pensar os porquês da vida é uma atitude importante, pois é necessário saber nossos acertos e erros. Em tempos instáveis toda a família tem que se unir e pensar juntos.Traçado o projeto do novo sítio, a pergunta seguinte foi: Quanto teriam que pedir emprestado? ... Logicamente, baques econômicos e novos sonhos requerem sacrifícios. Mas com um projeto viável não é tão complicado. Outra pergunta certamente foi: Como conseguir o dinheiro necessário para o projeto? Muitos dizem que só existem duas maneiras de se enriquecer, nascendo ou casando com rico. Talvez seja “Mimosa”, digo nossa zona de Conforto interior ainda gritando dentro de nós nos puxando para estagnação. O trabalho, a dedicação e o estudo são os veículos que nos transportam de onde estamos para onde queremos ir. Talvez não fiquemos milionários. Porém, nosso empenho além de grana, vai agregar algo que ninguém poderá tirar de nós: conhecimento, experiência e sabedoria.
PQC -REGRINHA BÁSICA
Parar e pensar antes de agir. PQC (POR QUE, QUANTO E COMO?) é uma abreviatura que quando lembrada pode estimular nosso senso financeiro, servindo de bússola para nortear nossas decisões. A vida nos exige decisões rápidas e estamos a toda hora sendo seduzidos ao consumo. Precisamos nos defender, educando nosso cérebro a pensar bem antes de realizar qualquer coisa que reflita em nossas finanças. Temos que ter disciplina e avaliar sempre se estamos lutando por nossos sonhos e projetos ou não. A verdade é que nunca poderemos prever quando ou se nossa vaquinha morrerá, mas podemos estar preparados para as adversidades com estudo e trabalho. Deixando um pequeno pedaço de nós sempre alerta, mas acima de tudo tendo fé que o maior tesouro que temos está dentro de cada um de nós.
Semanalmente esta coluna trará formação e informação, para este novo financista que somos todos nós.
Revista Lugar de Notícias



Facebook


Newsletter


Inscreva-se no boletim informativo da Folha do ES para obter suas atualizações e novidades semanais diretamente em seu e-mail.

© 2018 Folha do ES. Todos os direitos reservados.